Belo Horizonte / MG - quinta-feira, 03 de dezembro de 2020

Anatomia Patológica

O que faz um médico patologista?

O patologista é um médico especializado que realiza diversos procedimentos técnicos, tendo como objetivo principal estabelecer o diagnóstico preciso de uma doença, seja ela um câncer, uma inflamação ou qualquer outro tipo de alteração. 
Somente a partir do diagnóstico, isto é, do conhecimento do nome da doença será possível planejar o melhor tipo de tratamento e prever com razoável grau de acerto as diversas possibilidades de evolução para o paciente. 
Para descobrir o diagnóstico, o patologista estuda minuciosamente ao microscópio a forma das células e dos tecidos que estão doentes, a partir de uma amostra retirada do paciente pelo médico. As alterações encontradas são confrontadas com os sinais e sintomas que o paciente apresenta, bem como todos os exames laboratoriais e radiológicos por ele anteriormente realizados. 
Após essa análise conjunta, é possível emitir um parecer diagnóstico.
 

 

MODELO DE LAUDO ANATOMO PATOLOGICO

 

CDIS[ ]

 

Grau nuclear :[ ] grau 1 (baixo grau)[ ]grau 2 (grau intermediário)[ ]grau 3 (alto grau)

Necrose:[ ]ausente[ ]presente focal[ ]extensa, central tipo comedo

Calcificações:[ ]ausentes[ ]presentes associadas ao CDIS (determinantes)

 

CARCINOMA INVASOR[ ]

 

Tipo histológico (sugere-se utilizar a nomenclatura da OMS, 2003).

 

Grau histológico do carcinoma invasivo (pelo Sistema de Nottinghan):

Diferenciação tubular[ ]1[ ]2[ ]3

Grau nuclear[ ]1[ ]2[ ]3

Grau histológico final (obtido pela soma de pontos obtidos em cada uma das características acima):

Baixo grau (bem diferenciado):3 a 5 pontos

Grau intermediário (medianamente diferenciado):6 a 7 pontos

Alto grau (mal diferenciado):8 a 9 pontos

Tamanho do tumor (para fins prognósticos é considerada a maior dimensão o componente invasivo)

• Maior diâmetro:macroscopia [ ]mmmicroscopia[ ] mm

• Maior diâmetro da totalidade do tumor[ ] mm

(incluindo o componente ductal in situ) nos casos em que o tumor invasivo não corresponde ao diâmetro total do tumor.

• Não diretamente mensurável: neoplasia presente em [] corte(s) histológico(s) de um total de [] corte(s) examinado(s), medindo []mm de maior diâmetro na preparação histológica em que está melhor representada.

Avaliação da extensão do carcinoma in situ (quando associado ao carcinoma invasivo)

[ ]ausente[ ]escasso[ ]extenso (maior que 25% da área tumoral)[ ]outros (especificar) []

Multifocalidade (vários focos em um mesmo quadrante com distância dos focos ≤ 5 cm):

[ ]ausente

[ ]presente[ ]mesmo tipo histológico

[ ]diferentes tipos histológicos (especificar): [ ]

Multicentricidade (distância dos focos > 5 cm presentes em mais de um quadrante).

Só pode ser verificada em mastectomias, não sendo possível essa avaliação em espécimes menores.

[ ]ausente

[ ]presente[ ]mesmo tipo histológico[ ]diferentes tipos histológicos (especificar):[ ][ ]

Invasão vascular (linfática e/ou sanguínea)

[ ]ausente

[ ]duvidosa (provável mas insuficientemente definida)[ ]não avaliável

[ ]presente: [ ]peritumoral [ ]dérmica

Necrose tumoral:

[ ]ausente

[ ]leve[ ]moderada[ ]intensa[ ]não-avaliável

Avaliação da extensão tumoral

Pele da mama

[ ]livre de neoplasia

[ ]infiltrada[ ]infiltrada e ulcerada[ ]não-avaliável

Papila[ ]livre de neoplasia[ ]doença de Paget[ ]envolvida por carcinoma ductal in situ[ ]envolvida por extensão direta de carcinoma invasivo[ ]não-avaliável

Músculo peitoral[ ]livre de neoplasia [ ]invasão da fáscia muscular[ ]invasão do músculo [ ]não-avaliável

Margens cirúrgicas

[ ]livres e a menor distância do tumor à margem é de [ ] mm

Peça com orientação topográfica:

as menores distâncias do tumor às margens são:

anterior [ ] mmposterior (base) [ ] mmlateral [ ]mmmedial[ ] mmsuperior [ ] mm inferior [ ] mm

[ ]comprometidas (especificar o local) [ ][ ] [ ]

[ ]macroscopicamente comprometida[ ]comprometimento detectado à microscopia

[ ]envolvida por carcinoma invasivo[ ]envolvimento focal

[ ]envolvimento multifocal[ ]envolvimento difuso

[ ]envolvida por carcinoma in situ[ ]envolvimento focal

[ ]envolvimento multifocal[ ]envolvimento difuso

Alterações do parênquima mamário não-tumoral (listar as alterações encontradas)

Linfonodos axilares ipsilaterais

[ ]linfadenectomia convencional

[ ]linfonodo sentinela

Número de linfonodos examinados[ ]

número com metástases [ ]

[ ]macrometástases [ ]micrometástase (> 0,2 mm ≤ 2 mm)

Fatores preditivos de resposta terapêutica em câncer de mama.

O laudo deve especificar o anticorpo utilizado, o kit de revelação, fabricante e o método de recuperação antigênica.

Receptores hormonais:

Receptor de estrógeno:

[ ]Negativo (menos de 10% dos núcleos das células neoplásicas corados)

[ ]Positivo (especificar a porcentagem de células neoplásicas que expressam o antígeno nuclear).

Receptor de progesterona:

[ ]Negativo (menos de 10% dos núcleos das células neoplásicas corados)

[ ]Positivo (especificar a porcentagem de células neoplásicas que expressam o antígeno nuclear).

Her-2/neu (C-erbB-2): superexpressão na membrana citoplasmática da célula neoplásica (segundo Herceptest®, Dako)

Escore Significado

[ ]escore 0: negativo

[ ]escore 1+: negativo

[ ]escore 2+: indeterminado, requer FISH

[ ]escore 3+: positive

FISH (amplificação gênica do Her-2/neu):

[ ]não realizada [ ]realizada

[ ]negativa [ ]positiva

[ ]Outras técnicas especiais (especificar: [ ])

 

Estadiamento patológico (segundo o AJCC, 2002): pT: [ ]pN: [ ]pM: [ ]

 

Conclusão (Diagnóstico) final: [ ][ ][ ][ ]